X
MARINES BUSETTI

MARINES BUSETTI

Marinês Busetti nasceu em 30 de dezembro de 1958, na cidade de Farroupilha, RS.

Sua trajetória inicia nos anos 1980, quando cursa a Faculdade de Educação Artística na FEEVALE.  Ao longo dos anos investiu em sua formação por meio de cursos com destacados profissionais da pintura, escultura, desenho, gravura, estética e história da arte, além da arte-educação, tendo entre seus professores nomes como: Dudi Maia Rosa, Vasco Prado, Maurício Bentes, Valter Zanini, Danúbio Gonçalves, Oscar Ferrando, Lurdi Blauth, Anico Herskovits, Julio Plaza, Jayme Paviani, Maria Helena Lopes, entre outros.

Começou a exibir seu trabalho profissionalmente em 1987 e, ao longo destes anos,  expôs individualmente, participou de salões e integrou coletivas em galerias e espaços institucionais em diversas cidades do Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e no Exterior. Destaque para exposição com curadoria de Anico Herkovits no Centro Cultural CEEE Érico Veríssimo de Porto Alegre, intitulada Gráfica Gaúcha (edições I, II e III) que realizou um mapeamento da técnica entre os gaúchos. Participou, também, como artista convidada, do importante Consórcio de Gravuras, edição de 2010, projeto do Museu do Trabalho, também em Porto Alegre.

Em 2014 foi selecionada para a  coletiva SP Estampa na Galeria Gravura Brasileira em SP e da Iª Bienal Latino Americana de Gravura e Arte Impressa Rio-Córdoba no Rio de Janeiro e em Córdoba, Argentina. Em 2015 realizou exposição juntamente com a gravadora paulista Renata Basile na Galeria Priscila Mainieri, em São Paulo.

Como arte-educadora, tem desenvolvido projetos de estímulo ao desenvolvimento criativo e formação de professores, através de oficinas de arte em escolas e Universidades.

Desde 2010 mantém seu atelier em um charmoso chalé no Desvio Blauth, vilarejo no interior de Farroupilha, onde além de produzir seu trabalho, recebe o público em geral, turistas e estudantes para visitação e workshops.

 Desenvolvi meu trabalho de maneira ininterrupta ao longo dos últimos 30 anos. Partindo da figuração, onde o tema eram crianças  em meio à paisagem, sempre com suas pandorgas, comecei a geometrizar  dando origem às dobraduras apresentadas em 1987, na Galeria Arte&Fato em Porto Alegre, e em 1988 na Galeria Documenta em São Paulo. Depois disso passei pelas pinturas sobre tela e eucatex recortados, as dobraduras em chapa galvanizada e as pinturas com colagens sobre tecido voal.  

  Na pesquisa que desenvolvo desde 2003 na técnica da xilogravura, a repetição, rebatimento e inversão de módulos geométricos, vão criando composições inusitadas, gerando possibilidades infinitas de multiplicação da imagem. A inspiração para essas composições surgiu a partir do desdobramento de origamis e a observação dos vincos formados pelas suas dobras. O estudo destas composições gerou as primeiras xilogravuras e o desdobramento delas pode ser visto no meu trabalho atual, em que  às vezes utilizo a impressão das próprias matrizes da época dos origamis, e por outras, criações geométricas atuais, imprimindo, além de nos papéis tradicionais, também sobre outros tipos de papéis, como jornais, revistas e papel camurça, e trabalhando com interferências de lápis de cor, pintura e colagens. 

 Meu objetivo é  de provocar a sensibilização do olhar através de um processo seletivo de percepção, que ora destaca uma forma, ora outra, num jogo de entra e sai, de figura-fundo em pulsação constante. Assim, convoco a refletir sobre as relações entre a matriz e a cópia, a repetição e a diferença, entre construção e desconstrução, o geral e o particular, o real e o virtual, razão e emoção.  Quem sabe, sobre as várias formas de ver, as várias faces que algo pode ter, uma pessoa, uma ideia... Convoco a perceber o que antes parecia oculto. 

 

 

Começou a exibir seu trabalho profissionalmente em 1987 e, ao longo destes anos,  expôs individualmente, participou de salões e integrou coletivas em galerias e espaços institucionais em diversas cidades do Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e no Exterior. Destaque para exposição com curadoria de Anico Herkovits no Centro Cultural CEEE Érico Veríssimo de Porto Alegre, intitulada Gráfica Gaúcha (edições I, II e III) que realizou um mapeamento da técnica entre os gaúchos. Participou, também, como artista convidada, do importante Consórcio de Gravuras, edição de 2010, projeto do Museu do Trabalho, também em Porto Alegre.

Em 2014 foi selecionada para a  coletiva SP Estampa na Galeria Gravura Brasileira em SP e da Iª Bienal Latino Americana de Gravura e Arte Impressa Rio-Córdoba no Rio de Janeiro e em Córdoba, Argentina. Em 2015 realizou exposição juntamente com a gravadora paulista Renata Basile na Galeria Priscila Mainieri, em São Paulo.

Cadastro de

Newsletter

Cadastre seu nome e e-mail para receber nossas novidades!